Voltar 

3 aos 6 meses

Dia e noite: a entrar no ritmo
Como o bebé cresceu e se desenvolveu em tão poucas semanas. Quantas mudanças! Mas a vida da mãe também surge com novidades, como o regresso ao trabalho. Ambos vão ter de se adaptar à nova rotina e realidade de vida. 

As conquistas do momento

O dia tão sonhado em que ele vai dormir oito ou nove horas à noite está prestes a acontecer. Mas, ainda falta mais algum tempo para lá chegar. Há que ter calma e aproveitar as conquistas desta fase: a criança dorme e acorda mais ou menos no mesmo horário, na maioria das vezes. O seu ritmo de sono já não fica sujeito apenas à fome e vai-se ajustando ao ambiente, tranquilo (ou não), da casa. Outro sinal de crescimento: o bebé consegue já esperar um pouco, sem choro, até que a mãe se prepare para o amamentar.

O dorme e acorda de todos eles
Já não se trata do sono quase contínuo das primeiras semanas. O nosso pequeno ainda dorme bastante: 15 de cada 24 horas; mas, agora, pode acordar bem activo por volta das sete da manhã. Depois de se distrair um pouco, brinca de novo. Um novo despertar, vem o banho, a comidinha e lá está ele novamente dormindo a sono solto. Alguns não dispensam ainda uma soneca rápida lá pelo final da tarde, depois do passeio. 
Dos três aos seis meses, em geral, acontece assim. Até que, aos poucos, aumenta o tempo de vigília e vai diminuindo o de sono. A partir dos oito ou nove meses, pode desaparecer, também, o hábito de dormir no final da tarde. Por volta do um ano, a maioria dos bebés conserva a rotina de dormir pela manhã e depois do almoço.

E se continua a trocar o dia pela noite?
Em geral, a partir dos quatro meses, considera-se que o relógio biológico da criança está em pleno funcionamento. Por conseguinte, sabe distinguir o dia da noite, apesar dos sonos diurnas. Se assim não acontece com o seu filho, é sinal de que algo necessita de ser avaliado: o que tentar?
- Reduza, ao máximo, as actividades naa casa; nada de televisão com volume alto, conversas em voz alta ou agitações.
- Vá apagando as luzes, enquanto leva o seu filho para o quarto. Depois de adormecer, acenda de novo as lâmpadas, ajuste o som da televisão, etc.
- O bebé deverá já dormir no seu próprio quarto. Em condições normais, não há razão para manter o seu berço no quarto dos pais.
- De dia, cortinas abertas e boa boa luminosidade. À noite, evitar a luz forte. Apenas a luz suave de um candeeiro de quarto, na hora de o abordar e tratar.
- Crie um ambiente de calma, coloque-o no berço, converse, cante baixinho, toque no corpinho de seu filho com suavidade. O sono chegará pouco depois e...do modo certo.
- Não interrompa bruscamente as mamadas nocturnas, mas tente espaçá-las. E tenha a certeza de que o motivo do choro é mesmo a fome, antes de tirá-lo do berço e oferecer a mama.

Um bom sono para toda a família
Estamos a caminho de uma nova  e grande conquista: noites sossegadas, em que o pai e a mãe também podem recuperar as energias necessárias para enfrentar o dia seguinte; nada mais merecido. Crie as condições, incentive o bebé a construir um ritmo próprio de actividade e descanso, a tornar-se independente. Assim, estará contribuindo para o seu pleno desenvolvimento. 

A noite inteira, quando?


No final desta fase, por volta dos seis meses, os bebés podem dispensar o alimento nocturno, o seio ou o biberão. Muitas outras causas costumam ser responsáveis pela resistência na hora de dormir e pelo choro das madrugadas; como por exemplo os excesso de estímulos à noite quando os pais chegam do trabalho, a entrada na creche, a troca da ama, etc.

  Voltar