Voltar 

Beba agua, para bem da sua saúde  



Para uma pessoa saudável e em condições normais, a sede é um mecanismo fiável para indicar que o organismo necessita de mais fluídos.

Contudo, a sede não indica que tipo de bebida devemos ingerir.

Todos os anos se gastam muitos milhões em publicidade para nos levarem a consumir esta ou aquela bebida.

Mas aquilo de que realmente necessitamos é apenas de água.

 A água representa cerca de 85 por cento do nosso cérebro, cerca de 80 por cento do sangue e quase 70 por cento dos tecidos musculares. Todos os sistemas do nosso organismo dependem da água.
 


 
Dado que mais de metade do nosso corpo é constituído por água, não se torna difícil compreender que beber as quantidades necessárias é fundamental para manter uma boa saúde. Na verdade, não se pode sobreviver sem ela.

Entre muitas outras coisas, a água regula a temperatura do corpo, contribui para a eliminação de resíduos através da urina e transporta os nutrientes, o oxigénio e outras substâncias através do corpo.

É também a água que evita a obstrução intestinal. Para além disto, a água permite dissolver as vitaminas, os minerais e os outros nutrientes, tornando-os acessíveis para todas as células que constituem o nosso organismo.
Há permanentemente uma enorme corrente de água num e noutro sentido entre os órgãos e os tecidos.
 
A sede mostra-lhe o caminho

É frequente ler-se ou ouvir-se dizer que um adulto saudável precisa de ingerir diariamente pelo menos oito copos de água. Esta ideia não está fundamentalmente errada, mas, para a esclarecer melhor torna-se conveniente aprofundar um pouco mais o delicado equilíbrio entre os fluídos ingeridos e a sua perda.

 Um ser humano perde cerca de 2,4 litros de fluídos por dia, o equivalente a 10 copos, através do suor, da urina, do ar expelido e pela evacuação.
    
Para repor os níveis de fluídos necessários ao funcionamento equilibrado do organismo não é necessário beber apenas água simples. Na verdade, a água encontra-se presente tanto nos alimentos sólidos quanto nas restante bebidas que ingerimos.

Os alimentos sólidos, por exemplo, podem fornecer diariamente o equivalente a três ou quatro copos de água.

No entanto, é difícil avaliar com todo o rigor qual é a quantidade exacta de água absorvida através destes alimentos, uma vez que a sua composição é muita diversificada. Por isso, uma vez que a contabilização da água ingerida por este processo é de cálculo difícil, o indicador mais seguro para avaliar as verdadeiras necessidades de água continua a ser a sede.

Nada como a água


Se é verdade que se pode afirmar que, para um adulto com rins e pulmões saudáveis, a quantidade mínima de água necessária ao corpo são, em geral, oito copos diários, é preciso também não esquecer que existem também grandes variações individuais.

Ou seja, a tabela dos oito copos de água por dia não pode ser aplicada de uma forma demasiado rígida porque, na verdade, depende de muitos factores.

Por exemplo, ao contrário do que por vezes se imagina, as bebidas com cafeína e as bebidas alcoólicas acabam por ter um efeito desidratante, uma vez que provocam uma acrescida necessidade de urinar, levando assim à eliminação de uma grande quantidade de água. Por esta razão, não se pode contar com estes tipos de bebidas para repor as perdas de fluídos.

 
 
Assim, fica mais uma vez demonstrado que deve ser a sede a indicar o caminho.

 Por outro lado, para quem sofre de pedra nos rins é altamente recomendado beber mais de oito copos de água por dia.

Para além disto, foi também já amplamente demonstrado que se torna necessário ingerir quantidades extra de água em situações que podem conduzir à desidratação, como a subida da temperatura, a prática de exercícios físicos, etc.

Uma vez que as verdadeiras necessidades de água por parte de cada organismo podem variar, pode-se então concluir que o importante para a saúde é beber. E para se saber quanto é que se deve beber, basta deixar que a sede o determine.

Seja qual for a situação, o melhor é jogar pelo seguro, fazendo um esforço consciente para manter o organismo permanentemente bem hidratado. Beber água em quantidades suficientes é uma autêntica salvaguarda para a saúde.

Está sempre com sede?

Se verificar que está sempre com muita sede deve, sem perder tempo, recorrer ao médico para averiguar as causas dessa situação.

Para muitas pessoas, a necessidade de ingestão de grandes quantidades de água pode não estar relacionada com nenhum tipo de doença. Mas para outras, beber e urinar muito podem ser sinais de doenças graves.

Um aumento da sede e da urina, tanto em volume como em frequência, podem ser sintomas de diabetes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


  Voltar