Voltar 

CONVERSAR COM OS FILHOS



Muitos dos problemas na relação entre pais e filhos devem-se a uma falta de comunicação. Em muitos momentos os pais não compreendem e preocupam-se com algumas atitudes dos filhos. Nesta situação, o dialogo é um caminho fundamental para que exista maior participação e integração com os filhos.
Existem porém varias formas de dialogo e os pais devem estar atentos a isso. Muitas vezes inclusive o silencio é uma forma de expressão que deve ser respeitada e compreendida, e noutros momentos longas conversas que revelem ideias e emoções podem surgir naturalmente. Comunicar implica em saber ouvir, perceber e compreender as varias maneiras de expressão de uma pessoa, que revelam as suas emoções, ideias, vontades etc. assim como tentar ser percebido e compreendido na nossa forma de expressão.
As crianças pequenas por exemplo, tem o seu universo particular de comunicação. Não poderíamos esperar que uma criança de cinco anos conversasse a transmitir organização e maturidade de pensamentos com alguém de 35 anos. Assim sendo, para nos conseguirmos comunicar de forma saudável com uma criança, é preciso entrar no seu universo infantil.

 


Um dos principais problemas que dificultam a comunicação é o receio de não ser compreendido. Experiências passadas em que não fomos bem recebidos e aceites podem causar certa”magoa” ou deixar como sequela, uma angustia interna que impedirá mais tarde de nos manifestarmos livremente com receio de sofrer uma situação semelhante de humilhação e sofrimento.
Esse problema não emerge inicialmente nos filhos que ainda tem poucas experiências de vida, mas sim acontece frequentemente com os pais, ou seja, muitas vezes a dificuldade em se exprimir encontra-se no início e fundamentalmente nos pais, que devem superá-la para estabelecer nova dinâmica de relacionamento com o seu filho.
Pais que são demasiado rígidos, não toleram erros, e só aceitam comportamentos pre-estabelecidos para os filhos, agindo com repressão, desvalorização ou desinteresse com o que a criança manifesta espontaneamente, estão sem duvida interrompendo o fluxo espontâneo de comunicação entre eles e ainda podem afectar a auto-confiança nas realizações e na capacidade de expressão dos filhos.
A comunicação familiar é fundamental para que os filhos desenvolvam a habilidade de comunicação futura noutras situações como na profissão ou nas relações afectivas e sociais. É também importante para a própria saúde emocional dos familiares que convivem juntos e passam por tantos momentos particulares, que acabam afectando a dinâmica interna do lar. É através da comunicação que os sentimentos e opiniões podem surgir livremente, transmitindo um relacionamento mais intimo e verdadeiro.

ALGUMAS ORIENTAÇÕES

Mostre interesse sobre assuntos diários dos seus filhos
Não demonstre qualquer julgamento que possa desvalorizá-los, pelo contrario, elogie o que considerar positivo
Não espere que seus filhos tenham comportamentos, pensamentos ou vontades que sejam iguais aos seus, apenas esteja atento ao que não for saudável, e respeite quaisquer que sejam as escolhas que os deixem felizes.
Respeite a privacidade e compartilhem as suas opções e realizações.

  Voltar